Empresas que crescem juntas

Sebrae-SP reúne negócios do mesmo segmento para cursos e trocas de experiências entre empreendedores

notSebrae

Há 27 anos, João Luiz Braunstein está à frente da empresa JS Softcom, mas só há dois resolveu procurar ajuda do Sebrae quando decidiu sair da zona de conforto: da área técnica para a área comercial. “Fui buscar um curativo para a minha dor e achei um médico”, afirma. Depois de fazer consultorias, o empresário começou a participar este ano do programa do Sebrae-SP que reúne em grupos empresários do mesmo setor para receber capacitações, os chamados Projetos Setor Segmento.

Dono de uma empresa de software para o varejo, Braunstein faz parte do grupo de empresários da tecnologia da informação formado pelo Escritório Regional do Sebrae- SP Capital Leste 1. “Foi uma experiência muito interessante porque muitas dores são semelhantes. As trocas são ‘nutritivas’”, afirma Braunstein. Logo no começo, o empresário buscou o aprimoramento do pós-venda. “Sempre tive a visão que o que nos diferencia no mercado é o nosso pós-venda. No momento que o cliente tem problema é que temos que mostrar rapidez, agilidade e bom atendimento. E o nosso suporte era bagunçado. A primeira coisa que fiz foi contratar uma consultoria para modelagem de processos”, lembra.

Satisfeito com o resultado, o empresário não hesitou em fazer parte do Projeto Setor Segmento para participar de cursos nas áreas de gestão com mais 22 empresas. Ele se lembra de uma frase que os consultores falam muito durante os cursos: ‘o principal motivo de o empresário não implementar as mudanças que aprende é que ele é engolido pelo operacional’. “Meu desafio, mesmo com essa experiência toda e o cansaço da própria idade, foi trabalhar 14 horas para fazer o operacional e o estratégico. Eu trabalhei como nunca nesses últimos 24 meses, mas com muito prazer”, diz o empresário, que vai fechar 2017 com um crescimento de 30% e espera dobrar o faturamento em cinco anos.

Braunstein participou de um dos 242 grupos formados por mais de 5 mil empresários de todo o Estado de São Paulo neste ano em 25 segmentos diferentes. Para 2018, estão programados dois ciclos de programas nos escritórios regionais do Sebrae-SP com a previsão de atender 11,4 mil empresas em 570 projetos. Esse aumento é resultado de trilhas de capacitação mais enxutas e dois ciclos de programas no ano, diferentemente do ciclo único em 2017.

De acordo com o coordenador da Unidade de Atendimento Setorial do Sebrae-SP Juan Sanchez, todos 33 escritórios regionais do Sebrae-SP formarão grupos de turismo, artesanato e transportes. Os outros grupos serão formados de acordo com a vocação da região, como projetos de apicultura, alimentação fora do lar, beleza e olericultura. As trilhas de capacitação incluem cursos e oficinas de gestão, finanças, marketing, administração, planejamento estratégico e consultorias nas empresas.

Neste formato de programa, o empreendedor terá conteúdo específico do seu segmento para aumentar sua rede de contatos e ampliar a geração de negócios, além de ter a oportunidade de participar de feiras e eventos para conhecer as novidades do setor. “A maior sinergia do trabalho em projetos se dá porque os empresários começam a debater, interagir e falar de realidades próprias com pessoas que estão vivendo as mesmas angustias. É uma aprendizagem rica e sem sombras de dúvidas é uma forma de fazer networking para continuar trabalhando dentro do seu território de uma maneira melhor”, destaca o coordenador.