Arquivos mensais: outubro 2019

Por quais razões investir em sua equipe de atendimento

Nem sempre o preço é determinante na hora compra. Para muitos clientes, o bom atendimento é o que mais pesa no momento de escolher em que gastar o dinheiro. É por isso que as capacitações e atualizações das equipes de atendimento são tão importantes para o crescimento dos negócios. Veja outras cinco razões para investir nessa área:

  • Garantir uma boa experiência ao cliente é fundamental no processo de fidelização. Quando o atendimento é ruim, dificilmente a empresa terá outra chance de reverter a má impressão causada. Sem contar que consumidores são multiplicadores. Opiniões negativas podem afastar futuros clientes.
  • Equipes bem preparadas conseguem compreender melhor as necessidades dos consumidores e solucionar as demandas com mais rapidez e eficiência. Atender bem inclui acolher, ouvir e apresentar soluções precisas, baseadas nas necessidades estabelecidas durante o contato. O conhecimento das técnicas de abordagem são fundamentais para negociações satisfatórias.
  • Quando bem treinado e atualizado sobre os produtos e serviços da empresa, a equipe aumenta seu potencial de vendas. Chega a ser redundante dizer que o profissional precisa conhecer profundamente o que se propõe a vender. Mas, infelizmente, isso não é regra. Quanto mais o colaborador conhecer as vantagens e diferenciais do produto na hora de apresentá-lo ao cliente, maiores as chances de sucesso nas negociações.
  • Bem orientados, os colaboradores conseguem fazer a interface entre o consumidor e os trabalhadores internos, que desenvolvem as soluções de maneira mais assertiva. As equipes de atendimentos são as que mais têm acesso aos feedbacks da clientela. Informações corretamente coletadas e repassadas aos departamentos responsáveis possibilitam a correção de problemas e melhorias nos processos corporativos.
  • Os treinamentos permitem, ainda, que profissionais dominem a rotina de trabalho da empresa como um todo e mantenham o padrão das informações prestadas aos consumidores. Colaboradores que não estejam alinhados com os discursos da organização, além de não atenderem bem ao cliente, afetam a credibilidade da empresa. Por isso, integrar as equipes é uma forma de evitar ruídos de comunicação e prejuízos para a marca.

Opte por treinamentos adaptados ao seu negócio

Proporcione treinamentos frequentes para sua equipe de atendimento. Com isso, eleve a qualidade dos serviços prestados e torne a empresa mais competitiva perante o mercado. Quanto mais dinâmicas e direcionadas para o próprio negócio, melhores os resultados das atualizações.

Os treinamentos também contribuem para que os colaboradores se sintam mais motivados e valorizados. E, com isso, as equipes tornam-se mais eficientes, reduzindo a rotatividade. O excesso de mudanças no quadro de funcionários gera custos com demissões e novas contratações, além de descontinuidade nos processos.

Outra forma de tornar o atendimento mais eficaz é adquirir softwares de gestão administrativa para dinamizar e otimizar o dia a dia das organizações. Além de auxiliar no relacionamento com o cliente, principalmente no pós-venda, a plataforma possibilita mensurar o desempenho dos setores e, a partir disso, criar estratégias para melhorar a produtividade.

Agora que você já sabe o quanto vale a pena investir na sua equipe de atendimento, continue em nossa página e acompanhe outras dicas valiosas sobre como gerir seus negócios com eficiência. Acesse aqui para saber mais sobre nossas soluções e serviços.

Descubra como montar uma estratégia financeira para o crescimento da sua empresa

Saber como montar uma estratégia financeira em sua empresa é fundamental que ela prospere e cresça. Por isso, planejar as ações, apostar em inovação e analisar as possibilidades de crescimento são itens fundamentais para uma boa estratégia financeira em sua empresa.

Fazer a gestão de uma empresa é estar atento às mudanças e estabelecer metas de crescimento. Nada se constrói baseado em sorte. No mundo corporativo, cresce quem corre atrás das oportunidades.

Veja nesse post como montar uma estratégia financeira e como sua empresa pode se beneficiar disso:

Crie metas específicas

Para montar uma boa estratégia financeira, você precisa criar metas. Sua empresa precisa saber aonde quer chegar. As metas servem justamente como um rumo a ser seguido. Veja os exemplos:

  • Eu quero que minha empresa fature o dobro em um ano;
  • Eu quero expandir minha empresa em três anos;
  • Eu quero montar uma filial daqui a 5 anos.

Sem ter as metas pré-estabelecidas, sua estratégia financeira pode simplesmente pegar outros rumos. E isso não é nada bom para sua empresa. Por isso, é preciso estabelecer metas a curto e longo prazo em sua empresa. Assim, toda a sua estratégia financeira estará focada nisso, ou seja, a meta é o que norteia o crescimento.

Planeje a estratégia financeira e defina as projeções

Um bom planejamento é tudo em uma empresa. Se você já definiu suas metas e aspirações para o futuro, é hora de planejar como será a estratégia financeira para chegar onde você deseja. A estratégica financeira é definida por ano. Nesse caso, é preciso fazer uma boa projeção que considere tudo que envolve a vida financeira da empresa durante esse período.

Esse planejamento deve ser ajustado considerando toda a cadeia produtiva, custos, despesas, projeções de lucros, investimentos, impostos, etc. Ao final desse planejamento, sua empresa terá uma projeção das suas finanças.

Definir as projeções de tudo que envolve a vida financeira é fundamental para que a empresa trilhe o caminho da prosperidade e do crescimento.

Faça adaptações pontuais

Nem tudo vai caminhar como a gente definiu em nossa estratégia. Por mais que nossa estratégia seja bem elaborada, pode acontecer algum imprevisto ou necessite de algum ajuste nesse percurso.

Desse modo, faça inspeções e adaptações em sua estratégia financeira. Se perceber alguma falha, faça o ajuste necessário para que não perca seu planejamento de foco.

Envolva sua equipe

Pouco vai adiantar definir a estratégia financeira com seus diretores se você não conseguir envolver toda sua equipe nessa tarefa. Quem trabalha para você precisa entender que faz parte da empresa e que suas atitudes podem fazer a diferença.

Vamos colocar, como exemplo, a meta de expansão da empresa. Se sua estratégia financeira envolve a diminuição de custos e despesas, explicar o real motivo dos cortes e ajustes ajudará a envolver sua equipe nisso.

Afinal, uma expansão da empresa pode oferecer novas oportunidades de crescimento também para seus colaboradores. Além de abraçar a causa da empresa, ele estará motivado com a possibilidade de crescimento pessoal.

Otimize a gestão da sua empresa

Uma gestão eficiente em todos os setores certamente fará a diferença na sua estratégia financeira. Se você não possui estatísticas e controle dos diversos departamentos e ações da sua empresa, possivelmente não vai conseguir traçar uma estratégia financeira eficiente.

Desse modo, invista na automação da sua empresa. Os softwares de automação empresarial vão facilitar o armazenamento das informações e integrar todos os processos que envolvem a empresa. Assim, você terá informações confiáveis que ajudarão na tomada de decisão e no estabelecimento da sua estratégia financeira.

Descubra como mapear o fluxo de valor

Para que os processos de produção e entrega de produtos ou serviços sejam efetivas e de qualidade é necessário o aperfeiçoamento das etapas de produção para que se tenha um resultado final satisfatório.

Nessa perspectiva, o mapeamento de fluxo de valor é uma estratégia utilizada em forma de fluxograma e que possui características capazes de ilustrar, analisar e avaliar os processos de produção, aperfeiçoando as atividades de trabalho nos diferentes setores.
Nessa metodologia, o fluxo das etapas é analisado em cada processo e compreende todos os setores operacionais da empresa, desde o momento de início até a entrega ao seu cliente consumidor.

Como funciona o mapeamento de fluxo de valor?

O fluxograma para mapeamento utiliza de um sistema simbólico que representa os setores operacionais e acompanha um fluxo de informações que são incidentes nesses processos. Essa metodologia permite a identificação de problemas nas diferentes atividades de trabalho e nos todos os processos de produção, extinguindo os desperdícios observados nos processos operacionais.

Com um sistema de mapeamento de fluxo de valor organizado, os desperdícios e possíveis perdas são identificados em qualquer tipo de produção, independente do seu meio (maquinário ou manual). A partir desse mapeamento é possível definir quais processos estão agregando valor e quais não estão agregando valor nos meios de produção. Esse resultado possui influência direta no valor final do produto, quando este será comercializado ao consumidor final.

Benefícios do mapeamento de fluxo de valor

Para o empreendimento, definir os desperdícios e os valores agregados aos seus produtos é um procedimento de extrema importância e que determina a segurança de um investimento rentável e lucrativo. A partir do mapeamento de fluxo de valor é possível estabelecer estratégias que melhorem os processos de produção com a finalidade de reduzir custos e eliminar perdas durante a produtividade.

Assim, os setores de produção se tornam mais efetivos com materiais e serviços de maior qualidade. Essas ações impactam de forma significativa no posicionamento de uma empresa no mercado competitivo agregando potencial aos seus setores de produção e maior visibilidade no seu segmento.

Como mapear o fluxo de valor da sua empresa

Para realizar o mapeamento do fluxo de valor é necessário classificar os processos de produção e a partir de cada processo identificar as atividades o que são realizadas e que possuem capacidade de agregação de valor, assim como definir aquelas que não agregam valor aos seus meios de produção.

O objetivo dessa estratégia é definir de forma demonstrativa todas as atividades de trabalho da empresa, quantificando os materiais e as informações para o aperfeiçoamento desses processos, com a percepção das falhas incidentes e gerando um plano de ações que solucionem essas falhas nos processos.

A utilização desse mapa permite uma visualização mais completa e esclarecedora sobre o fluxo de valores incidentes nos processos de produção e oportuniza a gestão de melhorias que são capazes de influenciar positivamente a todos os setores da empresa gerando maior lucratividade.

Acompanhe nossos artigos acessando ao nosso site e encontre a solução para os seus problemas.

5 dicas para captar recursos

Toda empresa precisa de recurso. Seja para realizar um projeto, para manter o fluxo de caixa ativo ou para aproveitar uma oportunidade momentânea, muitas vezes é necessário captar um capital extra para cumprir o objetivo. Mas, existem diversas formas de fazer isso. Confira, então, 5 dicas de como captar recursos, desde as formas mais tradicionais, até as mais inovadoras.

1 – Use um crédito bancário

O crédito bancário é a mais tradicional e conhecida forma que uma empresa tem para captar recursos. Também é uma das mais seguras, já que o banco é uma instituição mais forte, confiável e estável.

Você, provavelmente, já sabia que isso é uma opção, por isso, a dica envolve como aproveitar melhor o empréstimo. Pesquise bastante sobre todas as condições oferecidas pelos bancos e evite ao máximo possível aceitar a primeira oferta. Além disso, não esqueça que as despesas com financiamento, como os juros, podem ser descontadas para o Imposto de Renda.

2 – Crowdfunding

Essa modalidade é um pouco mais inovadora e envolve o financiamento coletivo. Para isso, a sua equipe irá cadastrar o projeto ou a sua própria empresa, para que as pessoas físicas possam investir no seu projeto.

Neste caso, não funciona exatamente com um investimento, pois quem apoia não recebe lucros sobre os juros, mas outras recompensas que podem variar de acordo com o projeto. Normalmente, se ele envolve a criação de um produto, o próprio é a recompensa. É uma forma mais ampla e organizada da famosa “vaquinha”.

3 – Peer-to-peer lending

O peer-to-peer lending é bem semelhante ao crowdfunding. A principal diferença é que esta modalidade é mais como um investimento, em que os apoiadores do projeto recebem lucro de acordo com os juros pelo empréstimo. Por isso, esta modalidade é uma combinação de ambas as anteriores. Existe a aplicação de juros, como no crédito bancário, mas ela é feita por pessoas físicas.

O objetivo de ambas as ações é diversificar investimentos para pessoas físicas, enquanto promove mais empreendedorismo por parte das empresas, que conseguem recursos de forma mais barata e com menos burocracia.

4 – Private equity e microcrédito

Estes modelos de captação de recurso são semelhantes, mas agem em sentidos opostos.

O microcrédito é ideal para empresas que precisam de pouco recurso, geralmente disponibilizadas por ONGs e cooperativas. É uma das modalidades mais rápidas e menos burocráticas, por isso, tem os recursos mais limitados.

O private equity é o sentido oposto. Geralmente solicitado por grandes empresas que precisam de um recurso bem alto. Dependendo do valor, quem faz o empréstimo pode até mesmo entrar como sócio na empresa, com algum poder de decisão, para proteger o investimento.

5 – Investidores anjo

Os investidores anjos são mais comuns para empresas que estão iniciando no mercado. Geralmente, são pessoas mais influentes e consolidadas que trazem, além de dinheiro, conhecimento e conexões com outros players. Por isso, pode ser uma forma de captação ainda mais valiosa.

 

Não importa qual seja o método de captação de recursos escolhido, é importante sempre ter alguns pontos fundamentais em mente:

  • Entenda o momento atual do seu negócio e quais são as perspectivas futuras;
  • Tenha um plano de negócio para atrair investimentos com condições ideais;
  • Faça as demonstrações financeiras para trazer mais segurança ao credor;
  • Leia todos os documentos e contratos que ditam o negócio;
  • Foque no relacionamento com quem ofereceu o recurso.

Com essas dicas, o seu processo de captação de recursos será o ideal e sua empresa pode crescer ainda mais!